quarta-feira, 11 de abril de 2012

O LUGAR DE DESCANSO

“Levantai-vos e andai, porque não será aqui o vosso descanso; por causa da corrupção que destrói, sim que destrói grandemente” (Mq 2.10).

TODOS ESTÃO CANSADOS. A caminhada é longa, o sol está a pino, há perigo a cada curva da estrada. Os pés estão feridos, o estômago está vazio, a boca está seca. Ali na frente há uma sombra, um oásis, uma cisterna. Por que não parar ali para acampar e descansar um pouco?
Então se ouve uma voz autoritária: “Levantem-se, vão embora! Pois esse não é o lugar de descanso, porque ele está contaminando, e arruinado, sem que haja remédio”.

O jeito é colocar outra vez as mochilas às costas e os pés na estrada. Outras paradas não serão autorizadas pela voz autoritária. A voz tem razão, tanta razão como a daquele idoso de Gibeá que avisou o casal em trânsito que pretendia passar a noite na praça: “Você é bem vindo em minha casa”, disse o homem idoso. “Não passe a noite na praça" (Jz 19.20).

A voz não é contra o descanso. Ao contrário, ela quer levar os cansados ao verdadeiro descanso. A voz garante que : “há um descanso completo e perfeito ainda esperando o povo de Deus” (Hb 4.9). Trata-se de Canaã escatológica. Portanto, não me deixarei encantar com os supostos oásis deste mundo. Estou indo em direção à Canaã celestial!

Shalom. Pr. Croce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário